domingo, 18 de abril de 2010

a oração que chega a Deus

Ensinou nos também o Senhor Jesus a ora como Deus espera que oremos
"Tu porem, quando orares, entre no teu quarto, e, fecha a porta, orarás a teu pai que esta secreto; e teu pai que ver em secreto, te recompensara"(Mt 6:6)
Seria interessante que lêssemos todo o contexto, ou seja, de Mt 6:5 ao vers.8.
Veja que, naquela época, haviam fariseus que iam para as praças e faziam longas orações com palavras eloquentes(bonitas,difíceis), porem não eram orações dirigidas a Deus, mas para os homens verem, ouvirem e elogiarem.Por outro lado, aviam as orações dos gentios(Mt6:7),cheia de repetições, vazias e fúteis:E aquela oração que mas parece uma "reza" e, interessante, enquanto a pessoa fica repetindo tantas e tantas vezes, o seu pensamento está em outras coisas!Ela pensa que repetindo tantas palavra, Deus estaria ouvindo-a. É óbvio que não, pois Deus só ouve, fala e observa o coração do homem!!
Então, a oração que chega a Deus é aquela que não se preocupa com palavras bonitas, não é aquela que se preocupa -religiosamente- em repetir palavras, mas a que sai do coração! É por isso que na parábola do fariseu e publicano. Jesus disse que a oração do fariseu (cheia de orgulho e palavras bonitas-religiosa) não chega a Deus. no entanto, A oração do publicano, mesmo sendo este pecador, chegou a Deus, porque saiu do fundo do seu coração.
Por isso também que o senhor Jesus ensinou a oração em secreto: para que não oremos ao homem, mas a Deus. É claro que, no nosso caso, não podemos fazer todas as orações em secreto, pois oramos pelo povo, nas reuniões, radio e TV. No entanto,esta oração precisa sair do fundo do nosso interior, com alma, do coração! caso contrario ela nunca chegara a Deus. Porem, existem também os nossos momentos particulares, devocionais, quando precisamos alimentar-nos conversando com o pai. È esse o verdadeiro sentido da oração: um diálogo(nunca um monólogo), com o Pai; uma conversa franca com o nosso Pai Celestial que nos entende e nos ama. É claro que esse dialogo precisa ser franco, não precisa ser cheio de muitas palavras ou de palavras bonitas. Precisa ser sincero e nunca obrigatório, mas em espontâneo, a qualquer hora lugar, em secreto.
A também dois aspectos importantes que gostaríamos ressaltar:
1) Após falar com Deus, você precisa ouvi lo, deixando o Espírito Santo falar em seu coração, pois este é o momento especial, onde Deus fala muito connosco (diálogo, não monólogo);
2) Após orar, você deve guardar a fé (certeza) de que Deus ouviu e conrfia. não precisa mas tocar no assunto: é aguarda e espera em silêncio; aquele que é fiel, jamais deixara de responder!
Que nossas orações sejam verdadeiras e sincera, para que Deus ouça e aviva a sua igreja! AMÉM!


Deus abençoe a todos Luciano Maia

Nenhum comentário:

Postar um comentário