Pesquisar este blog

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Pessoas antissociais


Sabe aquela pessoa que sempre arranja uma desculpa para não ir a uma festa, ou que em reuniões sociais não se mistura e fica num canto, com cara de quem está entediada? Isto pode acontecer com todos nós, afinal, nem sempre estamos com vontade de sair, de conversar. Mas, uma vez que nos encontramos num ambiente social, é comum transformarmos o nosso humor e sermos receptivos aos outros. Porém, há aqueles que se torturam só de pensar em ter que encontrar outras pessoas, que não se transformam e se mantêm firme na posição de que fazem um grande favor em estar na presença de outros. É o antissocial. Mas, o que afinal é uma pessoa antissocial?

“O antissocial é aquele que não sente vontade de sair de casa, de ver gente nem de colocar a sua energia nos relacionamentos interpessoais, e vive de forma análoga a um urso hibernando, só deseja ficar dentro de sua caverna envolvido com seus próprios interesses e relacionar-se com os outros não faz parte de seus interesses”, diz a psicoterapeuta e psicanalista Léa Michaan.

Segundo ela, não é só em eventos sociais que podemos encontrar pessoas assim. Elas podem estar ao nosso lado, no trabalho por exemplo. “É muito chato trabalhar ao lado de pessoas antissociais, pois elas não se envolvem com os colegas, não puxam conversa e quando questionadas, respondem com monossílabos. E no ambiente de trabalho é muito importante se entrosar, pois sempre haverá alguma situação em que será preciso trocar a folga, de ajuda para compreender alguma questão, e o clima fica bem mais leve se as pessoas apreciam a companhia umas das outras”, ressalta.

Festa da empresa

Está se aproximando a época das confraternizações de final de ano das empresas. Época essa, que é o terror para pessoas assim. “Os antissociais detestam ter de ir a uma festa ou confraternização, mas ao não ir demonstram desinteresse àquilo que é feito para elas.” Como então participar de eventos sem que seja um verdadeiro martírio? “Compreender que só ela odeia estar com outras pessoas porque acha que os outros não a estimam ou admiram e tudo o que o antissocial faz é devolver ao mundo o que erroneamente pensa que o mundo faz com ele, e agindo desta forma, de fato os outros não vão apreciar a sua companhia e ele será visto pelos outros como alguém que não gosta de interagir”, responde Léa.

Como eles se sentem

Na concepção da psicoterapeuta, os antissociais se “escondem” normalmente porque possuem uma baixa autoestima e acreditam que ninguém vai achá-los interessantes, que os outros não gostam deles. “Eles próprios se tornam desta maneira com os outros. O nível de aversão em encontrar com outras pessoas pode chegar a se transformar numa fobia e a cada vez que o antissocial não tiver escapatória, os dias que antecedem o evento serão torturantes para ele. Seus pensamentos serão: ‘Que horror, vou ter que me encontrar com aquelas pessoas chatas’. O antissocial não dá chance para mudanças de humor”, enfatiza

Se não há chance para uma mudança de humor, uma mudança de vida seria impossível?

“Não. Desde que se queira é possível uma mudança, mas para o antissocial se transformar é necessário que compreenda que o ‘inferno’ é uma projeção que ele faz dos outros, pois os outros são como espelhos de nós e nos tratam da mesma forma que nós os tratamos. Se alguém pensa que o outro não tem nada de bom, muito provavelmente, ele pensa que ele próprio não tem nada de bom, e isto é um problema de autoestima, portanto uma mudança é possível e a receita para essa mudança de atitude está dentro da sua mente. Enquanto acreditar que não gostam dele, não conseguirá apreciar o outro, e por fim esta crença se tornará uma realidade”, finaliza Léa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário