sábado, 25 de dezembro de 2010

Pacto de Fé


Do ponto de vista social, aliança, casamento, matrimônio, pacto ou parceria são sinônimos quando se trata da união de casais. O sentimento de amor tem sido o elo do casamento. Por força desse amor há o sacrifício cobrado de ambos. Não há manifestação de amor sem o sacrifício. A falta desse elemento sinaliza falta de amor. Que casamento pode sobreviver sem o sacrifício? Nenhum.
Do ponto de vista espiritual, o único canal de relacionamento com Deus é a fé. E como no amor, o sacrifício também é essencial na sua manifestação. Que fé pode sobreviver sem a ação do sacrifício? Nenhuma.
Se alguém quer vir após Mim, a si mesmo se negue, dia a dia tome a sua cruz e siga-me. Lucas 9.23
Três tipos de sacrifícios diários ficam bem claros nestas palavras: negar-se, tomar a cruz e seguir Jesus.
Ester e eu iremos completar 39 anos de casados. Jamais poderíamos desfrutar esse tempo juntos se abríssemos mão dos sacrifícios. Os sacrifícios no início foram muito difíceis. Hoje, são um prazer.
No relacionamento com o Espírito de Deus também não é diferente. Ele tem sacrificado quando atura nossas falhas e fraquezas. Nós sacrificamos a carne, dia após dia, para manter pura a consciência da fé.
O amor é uma manifestação sensível. A fé é uma manifestação racional. Não há como se avaliar a dimensão de ambos senão por meio dos sacrifícios exigidos por eles.
Que limite há de sacrifícios por um amor verdadeiro? Que limite há de sacrifícios por uma fé sobrenatural no Todo-Poderoso?
Quer dizer: tanto a fé como o amor são sustentados pelo sacrifício constante dos envolvidos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário