quinta-feira, 4 de abril de 2013

Igreja Universal de Angola é reaberta após suspensão do Governo


Fiéis celebraram Páscoa dentro dos templos que estavam fechados havia quase 2 meses

Da redação (*) / Fotos: cedidas
redacao@arcauniversal.com

Fiéis chegando para a reunião das 10 horas, no Cenáculo Principal em Luanda
No dia de Páscoa, data que é considerada pelos cristãos de todo o mundo como o dia da vitória, pois marca a ressurreição do Senhor Jesus, quem ganhou o maior presente foram os fiéis da Igreja Universal do Reino de Deus de Angola. Isso porque, após quase 2 meses sem poder congregar nos templos, em decorrência de uma suspensão das atividades da Igreja, estabelecida pelo Governo angolano, os Cenáculos do Espírito Santo de todo o país foram reabertos.
Ansiosas e repletas de alegria, mais de 250 mil pessoas compareceram às igrejas, para agradecer a Deus pela vitória concedida.
“Muito obrigado. Recebi um grande presente: as portas da minha amada Igreja abertas”, comentou Alex Sandro Santos, pastor da Igreja no país, que fez questão de agradecer a todos pelas orações feitas em favor da causa, pois elas não se limitaram a partir apenas do povo de Angola, mas foram feitas em todo o mundo, por meio de mobilização na internet.
A esposa do pastor Alex, Maria de Lourdes, também não pôde conter a satisfação de presenciar esse momento especial. “É uma alegria sem igual. Foi muito lindo poder estar novamente junto com esse povo. Essa é a minha vida, essa é a minha fé.”

Bispo Augusto Dias agradece a Deus pela reabertura dos templos
No Cenáculo do Alvalade, em Luanda, sede Nacional da Universal em Angola, o bispo Augusto Dias, responsável pelo trabalho da Igreja no país, quando se dirigia ao altar, foi surpreendido com palmas e assobios, da parte das 4 mil pessoas presentes no local, que não puderam segurar a imensa alegria de estarem novamente juntas na Casa de Deus.
“As palmas foram um sinal de agradecimento ao Senhor Jesus, por não ter abandonado o seu povo no momento de turbulência que a Igreja viveu, durante os dias em que esteve interditada”, comentou o bispo Augusto.
O bispo também fez questão de agradecer aos fiéis pela tamanha fidelidade, confiança e forma ordeira com que se mantiveram durante toda a suspensão, pois, em momento algum, eles se rebelaram contra o Governo, mas se revoltaram diante de Deus, unindo-se em oração, certos de que a resposta viria.

Fiéis clamam a Deus, unidos, dentro do templo
Estabelecida legalmente em Angola desde 1992, conforme atestam documentos oficiais expedidos pelo país, a Universal mantém 230 templos, 430 pastores e cerca de 500 mil fiéis no local. Desde então, trabalhos sociais são feitos incessantemente pelos missionários, que não medem esforços para levar apoio espiritual e físico aos necessitados.
Se há quem pense que depois de tal perseguição as ações em favor do povo angolano vão cessar, está enganado, pois, de acordo com o bispo Augusto, elas vão continuar e aumentar cada vez mais.
“A Universal em Angola continuará a ser um parceiro social do Estado angolano, nos trabalhos de evangelização e mobilização de dependentes químicos, campanha de doação de sangue nos hospitais, visitas aos hospitais, cadeias e lares carentes, assim como campanhas de doação de bens de primeiras necessidades aos desfavorecidos.”
Mais uma vez a Palavra de Deus se cumpriu e todos puderam regozijar juntos, dizendo que, de fato, a porta que Deus abre ninguém fecha.
“Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.” Mateus 16:18
(*) Com informações de Manuel Gabriel – Angola

Nenhum comentário:

Postar um comentário