quarta-feira, 21 de maio de 2014

Sexo livre na sua tela

A banalização do ato nas telas de cinema ultrapassa os limites da vulgarização. Entenda como isso pode prejudicar o seu relacionamento

A quantidade de livros, novelas, músicas e filmes com conteúdo vulgar e erótico está cada vez maior e mais acessível em nossa sociedade. Você já parou para pensar quais as consequências da disseminação desse tipo de informação? O sexo, as carícias descompromissadas e as relações passageiras estão ao alcance dos olhos, banalizadas e reduzidas a algo corriqueiro e pouco importante. O consumo desses conteúdos custa caro e você pode escolher se quer pagar ou não por eles.
Para Renato Cardoso, apresentador do programa “The Love School – A Escola do Amor,” da Rede Record, o que está acontecendo ao nosso redor é uma verdadeira revolução cultural. “Ela está trazendo e ainda trará muitos resultados negativos aos casamentos, às famílias e também às pessoas solteiras. Essa revolução cultural está acontecendo de várias formas, por vários canais, e um deles é o dos filmes”, afirmou, durante programa de rádio “A Escola do Amor Responde”, transmitido pela Rede Aleluia (99,3 FM).
Na ocasião, ele comentou sobre a grande quantidade de filmes com forte conteúdo sexual que havia sido indicada para premiação no ano passado, em um famoso festival internacional de cinema. Uma verdadeira exposição do sexo como um mero atrativo comercial, apresentado de forma explícita em troca de audiência e de grandes bilheterias. Mas não é apenas isso.
“A ideia que a gente vê nessa revolução cultural é exatamente a lavagem cerebral. Esses filmes são premiados. Os críticos, que são pessoas que supostamente entendem do assunto, glorificam e exaltam esses filmes. Sem você perceber, a sua mente está sendo lavada”, ressaltou o apresentador.
“Se você não cuidar, se você não se preocupar, a sua mente estará sendo lavada e nela serão acrescentadas essas ideias, esse conteúdo que diz que sexo é uma coisa banal e que é tão simples como sujar a mão e lavá-la novamente. Não como algo exclusivo de uma relação amorosa e de casamento, em que o compromisso prevalece”, completou.
Final do tabu?
O sexo nas telas deixou de ser um tabu e tem se tornado cada vez mais trivial. As cenas apelativas mostram atos pornográficos de uma forma escancarada e desconectados de envolvimento emocional. Muitas vezes, de uma maneira ruim e desrespeitosa, quando o companheiro ou companheira não passa de objeto sexual. As relações estão deixando de ter a importância que realmente merecem.
A indústria cinematográfica quer que você, leitor, veja isso como algo normal, natural. Mas você precisa ser inteligente e ter uma visão crítica sobre o assunto. Muito mais que um mero prazer carnal, o ato feito no casamento é o resultado de conhecimento mútuo entre o homem e a mulher. É o resultado da entrega, da descoberta e, principalmente, do respeito.
Dessa forma, é importante saber separar a sua vida da realidade apresentada na tevê e nos filmes. “Você precisa decidir o que vai querer para você e para o seu relacionamento. Por isso, existe a necessidade de blindar o casamento. Se a pessoa não blindar, é muito fácil que essas ideias comecem a entrar na vida delas”, finaliza o apresentador.

Nenhum comentário:

Postar um comentário